Usar adoçante pode atrapalhar sua dieta: entenda quando isso ocorre e fuja

Depois que o açúcar entrou na lista dos vilões de uma dieta saudável não faltam opções no mercado para substituir no sabor doce do ingrediente. E os adoçantes surgiram como alternativas com poucas o nenhuma caloria para quem não abre mão de um paladar açucarado e quer emagrecer.

O problema é que, dependendo do tipo de adoçante e a quantidade ingerida, podem surgir efeitos colaterais indesejados, causando inclusive, aumento de peso.

Excesso de adoçante prejudica saúde

A médica Anna Virginia Pinto, da Clinica Patricia Davidson Haiat, afirma altas doses de adoçantes artificiais como o aspartame, sucralose, sacarina, ciclamato, entre outros, podem provocar uma série de reações no corpo. E estes adoçantes podem aparecer “disfarçados” em produtos com apelo fit e saudáveis.

Os sintomas mais comuns do consumo excessivo de adoçantes vão desde dores de cabeça e alergias na pele até distúrbios mais graves, como depressão, compulsão alimentar e disfunções hormonais. Como resultado, o adoçante escolhido para emagrecer pode causar efeito rebote, contribuindo com o ganho de peso.

Isso acontece porque o açúcar aciona centros de prazer no cérebro, proporcionando uma sensação de euforia e bem-estar. Mas o resultado é rápido – o que faz a pessoa a consumir ainda mais doces. Alguns estudos afirmam que os adoçantes não conseguem suprimir estes desejos, o que leva o indivíduo a buscar uma alimentação compensatória, levando a um consumo ainda maior de calorias diariamente.

Adoçantes naturais funcionam?

A médica acredita que adoçantes naturais como stevia 100% ou xilitol também devem ser consumidos com moderação, já que podem provocar diarreia e gases. Para ela, a melhor alternativa é se adaptar o sabor natural e verdadeiro dos alimentos. “O ideal mesmo seria reeducar nosso paladar para não depender de adoçante de nenhum tipo”, completa.

14/05/2019

(Visited 4 times, 1 visits today)